Arquivo da tag: exposição

guy blanc, aproximando brasília de paris

paris-brasilia

Pense em Brasília. Mesmo que você nunca tenha ido lá, alguma imagem deve passar por sua cabeça. Agora pense em Paris. Idem. As duas cidades icônicas (guardadas as devidas proporções), são aproximadas pelo olhar do cineasta francês Guy Blanc na exposição Brasília – Paris, Olhares Cruzados.

É a 5ª exposição do francês Guy Blanc, cineasta com larga experiência no Brasil, onde produziu para a TV francesa um documentário sobre as obras de Oscar Niemeyer

Com vivência em Paris e Brasília, Guy Blanc busca aproximar duas cidades aparentemente antagônicas, percorrendo suas curvas, materiais e texturas. Se você tem curiosidade sobre o resultado, assim como eu, veja o que o próprio cineasta diz sobre o trabalho:

“Moro em Brasília há mais de 30 anos e passo algumas temporadas em Paris, então, sempre fotografei muito as duas cidades. Na minha mente, como são lugares que amo, tive a idéia de traçar essa aproximação. Fui completamente guiado pela emoção” (Para Correio Braziliense)

———————-

Nascido em uma aldeia perto de Lyon, na França, trabalhou com assistente de direção, produtor de documentários e diretor de filmes publicitários. No Brasil, veio a primeira vez para a filmagem de “Le retour du Grand Blond avec une chaussure noir” e dois anos depois de envolve na produção do filme “Pastores da Noite”, adaptação do romance do escritor Jorge Amado. Apaixonou-se pelo Brasil, e ficou.

————————–

p.s.: as fotos que ilustram este post, não são de Guy Blanc. Não encontrei nada na Internet. Continuo procurando

p.s.2: a exposição acontece em Brasília, até o dia 13 de novembro, no espaço de exposições da Câmara dos Deputados.

4 Comentários

Arquivado em ...na vida, ...nas artes

100 anos de Cartier-Bresson

Nesta última sexta-feira, dia 22 de agosto, o fotógrafo Henri Cartier-Bresson teria completado 100 anos. Nascido em 22 de agosto de 1908, é considerado o pai do fotojornalismo, tendo influenciado todas as gerações que o seguiram.

É difícil olhar para uma foto de Cartier-Bresson sem se emocionar, ou se teletransportar por alguns minutos que seja para aquela situação registrada. O fotógrafo defendia a idéia de que existe um momento decisivo (do livro The Decisive Moment) no qual a foto deve ser captada.

Henri Cartier-Bresson, considerado um fotógrafo humanista, percorreu o mundo e co-fundou, em 1947 a agência Magnum Photos. Ajudante do cineasta Jean Renoir quando jovem, também fez documentários sobre a Guerra Civil espanhola e sobre os Estados Unidos.

Para ver um pouco do trabalho do mestre, você pode acessar o livro online aqui ou ver algumas de suas fotos em exposição no MAC (Museu de Arte Contemporânea) da São Paulo, dentro da coletânea “Fotógrafos da Vida Moderna”

Deixe um comentário

Arquivado em ...nas artes