Arquivo da tag: Paris

ano novo em paris?

parisnye

A passagem do Ano em Paris talvez seja a mais famosa do mundo. Ninguém resiste aos encantos de passar a última noite do ano na Cidade Luz, caminhando pela Champs-Élysées ou sob a luz da Torre Eiffel.

No blog Conexão Paris, a mineira parisiense Maria Lina avisa e aconselha “O reveillon na França não é alegre como no Brasil por causa do frio. Passar a virada do ano nos pontos mais turísticos como o Champs Elysées, Odeon, Bastille é uma possibilidade mas não aconselho porque a festa vai durar 15 minutos. Bebe-se um champanhe depois o frio aperta e acabou.

Tenho aconselhado um jantar em um bom restaurante ou um espetáculo seguido de um jantar.”

Para quem não vai para Paris, a solução pode ser encontrada em alguns hotéis e restaurantes que homenageiam a França nesta ocasião. É o caso do All Seasons, onde o chef suíço Christophe Besse, criou dois menus com o tema Paris, Cidade Luz: um para a passagem do ano e outro para o brunch do dia seguinte. As sobremesas são do chef patissier Marc Gonzalez.

————————–

All Seasons – Al. Santos, 85, Cerqueira Cesar, tel.: 3177-0436.

Deixe um comentário

Arquivado em ...na vida, ...u-lá-lá!

um arquiteto da moda em paris ou nosso franceses: gustavo lins

picture-38

Brasileiro, Gustavo Lins estudou arquitetura por aqui e foi aplicar tudo o que aprendeu em terras francesas, primeiro trabalhando com grandes nomes da área (Vuitton, Galliano, Gaultier, e Hermès) e depois abrindo seu próprio Atelier em 2003, com coleções femininas e masculinas.

Suas coleções se destacam pelo aspecto “construtivo” de suas roupas, as estruturas estudadas delicadamente, como em um projeto de arquitetura.

“J’ai vraiment le sentiment d’exprimer l’esprit de l’architecture à travers le vêtement” diz o estilista em seu site.

“A distance, c’est un objet; porté, ça devient une espace. Je le construit, mais c’est la personne avec son esprit et son intelligence et sa personnalité qui l’occupe!”, complementa, sugerindo que cada roupa é uma moradia, que deve ser ocupada pela personalidade daquele que a ocupa. 

O chique é que ele foi nomeado um membro visitante do Paris Chambre Syndicale de la Haute Couture em 2007!

E é chamado constantemente para desenvolver projetos artísticos:

glmorewall linsedition_teaser

picture-39

Deixe um comentário

Arquivado em ...na moda, ...nossos franceses

fotos da exposição de guy blanc

Com exclusividade aqui no nosso OuiOui, um presente do fotógrafo Guy Blan, sobre o qual falamos recentemente: fotos exibidas na sua exposição Brasília-Paris, Olhares Cruzados

expo-06-a

expo-06-b

expo-10-a

expo-10-b

expo-12-a

expo-12-b

Ah! E estas fotos respondem ao meu p.s. do post anterior “p.s.: as fotos que ilustram este post, não são de Guy Blanc. Não encontrei nada na Internet. Continuo procurando”


1 comentário

Arquivado em ...na vida, ...nas artes

guy blanc, aproximando brasília de paris

paris-brasilia

Pense em Brasília. Mesmo que você nunca tenha ido lá, alguma imagem deve passar por sua cabeça. Agora pense em Paris. Idem. As duas cidades icônicas (guardadas as devidas proporções), são aproximadas pelo olhar do cineasta francês Guy Blanc na exposição Brasília – Paris, Olhares Cruzados.

É a 5ª exposição do francês Guy Blanc, cineasta com larga experiência no Brasil, onde produziu para a TV francesa um documentário sobre as obras de Oscar Niemeyer

Com vivência em Paris e Brasília, Guy Blanc busca aproximar duas cidades aparentemente antagônicas, percorrendo suas curvas, materiais e texturas. Se você tem curiosidade sobre o resultado, assim como eu, veja o que o próprio cineasta diz sobre o trabalho:

“Moro em Brasília há mais de 30 anos e passo algumas temporadas em Paris, então, sempre fotografei muito as duas cidades. Na minha mente, como são lugares que amo, tive a idéia de traçar essa aproximação. Fui completamente guiado pela emoção” (Para Correio Braziliense)

———————-

Nascido em uma aldeia perto de Lyon, na França, trabalhou com assistente de direção, produtor de documentários e diretor de filmes publicitários. No Brasil, veio a primeira vez para a filmagem de “Le retour du Grand Blond avec une chaussure noir” e dois anos depois de envolve na produção do filme “Pastores da Noite”, adaptação do romance do escritor Jorge Amado. Apaixonou-se pelo Brasil, e ficou.

————————–

p.s.: as fotos que ilustram este post, não são de Guy Blanc. Não encontrei nada na Internet. Continuo procurando

p.s.2: a exposição acontece em Brasília, até o dia 13 de novembro, no espaço de exposições da Câmara dos Deputados.

4 Comentários

Arquivado em ...na vida, ...nas artes

nosso quase-francês: santos dumont

Talvez o nosso mais famoso quase-francês seja Santos Dumont, o pai da aviação e o pai de muitas outras coisas que nos rodeiam, como o relógio de pulso.

Sempre achei que o nosso “pai da aviação”, como era conhecido, tinha vivido na França por estar ali, no começo do século passado, o centro de toda a cultura européia. Ledo engano. Santos Dumont é neto de franceses, seus avós paternos François Dumont e Euphrasie Françoise Honorée.

Segundo a Wikipedia, “François veio ao Brasil em busca de pedras preciosas para as indústrias de seu sogro, ourives. Teve três filhos no Brasil (Henrique, Victor e um desconhecido) e faleceu cedo. Henrique, pai de Santos Dumont, apoiado pelo padrinho, se formou na “École des Arts et Métiers” (Escola de Artes e Ofícios de Paris), tendo se formado engenheiro.”

Para reafirmar sua identidade franco-brasileira, Santos Dummont assinava sempre Santos = Dummont, equilibrando as suas duas nacionalidades:

Seus primeiros vôos foram performados em Paris, onde viveu boa parte de sua vida.

Deixe um comentário

Arquivado em ...na vida

a paris dos parisienses, um ensaio fotográfico

Ontem me chamou a atenção uma chamada na home do UOL para o blog da National Geographic com fotos de um flanêur brasileito em terras francesas, assunto perfeito para este blog.

Bom, o fotógrafo e escritor Adriano Gambarini, procurou registrar em suas fotos durante uma temporada na capital francesa, a verdadeira Paris, a Paris dos parisienses.

Segundo ele, que todos os dias caminhava pela cidade “Foi um ensaio descompromissado, daqueles em que produzimos quando a fotografia é amadora no conceito literal da palavra, quando efetivamente se define em amor pelo que fazemos, e não por regras e conceitos pré-definidos.” E completa “Minha intenção era encontrar naquelas ruelas a ‘Paris dos parisienses’. Como será que eles viam a própria cidade? Será que aqueles monumentos históricos os impressionavam no dia-a-dia da vida moderna? Será que ainda subiam na Torre Eiffel para admirar a vista? Ou se perguntavam do porquê de tantas gárgulas na Notre Dame?”  

Ele mesmo diz que não sabe se encontrou a verdadeira cidade, mas temos que admitir que conseguiu fazer fotos lindíssimas.

Uma delas é essa

 

as outras fotos você vê clicando aqui

Deixe um comentário

Arquivado em ...u-lá-lá!

as cores do brasil na moda

O Brasil é destaque na Semana de Moda Francesa. E não é por nenhum estilista brasileiro, mas sim pelo desfile do japonês Issey Miyake. Depois de viagem de pesquisa e inspiração ao Brasil, o diretor de criação da marca Dai Fujiwara voltou com mais de 3.000 cores de referência para montar a paleta de cores da coleção Caçador de Cores.

E não deu outra: Amazônia, Rio de Janeiro e Oscar Niemeyer encheram a passarela e emocionaram Paris!

O diretor de criação Dai Fujiwara

Em abril passado, Dai deu palestra aqui em São Paulo, no MAM, sobre o conceito A-POC que, basicamente, dedine-se em várias peças de roupas desenhas num pedaço de tecido, que você recortar o que preferir usar e sai vestindo Issey Miyake feliz da vida.

A-Poc.

Quem visitou a recente exposiçao em homenagem ao centenário da Imigração Japonesa no MAM, deve lembrar-se da instalção do Issey Miyake que explorava o conceito.

Deixe um comentário

Arquivado em ...na moda